sábado, 28 de janeiro de 2012

A PRIVATARIA TUCANA E A DOUTRINA DO CHOQUE


Li, neste final de ano, o livro A Privataria Tucana (de Amaury Ribeiro Jr.), com o interesse de um professor e, antes de tudo, cidadão. Uma sinopse pode ser encontrada em


Para mim, o que mais o livro tem de interessante é, sem dúvida, o projeto neoliberal de privatização de empresas estatais, de desregulamentação do Estado e o fim do Estado de bem-estar social defendido por poderosos setores da economia e da política no Brasil.

Comecei a ler (estou na metade do volume) o livro de Naomi Klein, A Doutrina do Choque. A principal tese da autora, estampada no subtítulo do livro, é a ascensão do capitalismo de desastre. O texto compara o tratamento de choque usado por pacientes nas clínicas psiquiátricas dos EUA durante a Guerra Fria com os planos neoliberais da Escola de Chicago, cujo nome fundamental é Milton Friedman. A autora defende que catástrofes naturais (furacão, tsunami, terremoto) ou catástrofes político-militares (golpe de Estado no Irã, contra Mohammad Mossadegh, na Indonésia, contra Achmed Sukarno, no Chile, contra Allende), funcionam nas sociedades como o tratamento de choque nos indivíduos: surge um vazio, um pavor, uma angústia, um “papel em branco” nas mentes. Esse é o terreno considerado ideal para os defensores do neoliberalismo implantarem a receita de Friedman e da Escola de Chicago.
 Recomendo assistir aos vídeos abaixo:

                             (1/6)     
(2/6)
(3/6)
(4/6)
(5/6)
(6/6)

Nenhum comentário:

Postar um comentário