quarta-feira, 28 de setembro de 2011

RESUMO: CRISE DE 1929 E GRANDE DEPRESSÃO









A CRISE DE 1929

A DÉCADA DA PROSPERIDADE (1919 A 1929)
• Os EUA passaram de devedores a credores da Europa: efeitos da Primeira Guerra Mundial
• A Europa, destruída, importava dos EUA, capital, bens de capital, bens de consumo
• Euforia de crescimento norte-americano e interdependência das economias
• Empresários agrícolas elevaram a produção e seus investimentos para atenderem à crescente demanda interna e à europeia
• Especulação criava fortunas da noite para o dia no mercado financeiro e a aplicação em ações superou a aplicação no setor produtivo: entre 1925 e 1929, o mercado de ações recebeu o dobro de investimentos das aplicações no setor industrial
• A PARTIR DE 1924, A EUROPA, RECONSTRUÍDA, DIMINUIU SUAS IMPORTAÇÕES E ADOTOU O PROTECIONISMO
• COMEÇARAM OS ESTOQUES INVENDÁVEIS, FRUTOS DA SUPERPRODUÇÃO
• O MERCADO INTERNO, MESMO ESTIMULADO PELO “AMERICAN WAY OF LIFE”, NÃO CONSEGUIU EQUILIBRAR A RELAÇÃO ENTRE OFERTA E PROCURA

LIBERALISMO ECONÔMICO

• O PRESIDENTE HOOVER, DO PARTIDO REPUBLICANO, BASEADO NO LIBERALISMO CLÁSSICO, NÃO INTERVÉM NA ECONOMIA, ACREDITANDO QUE APENAS A “MÃO INVISÍVEL” DO MERCADO RESOLVERIA A CRISE DE SUPERPRODUÇÃO
• PARA REDUZIR OS ESTOQUES INVENDÁVEIS, EMPRESAS DEMITIRAM TRABALHADORES LEVANDO AO CRESCIMENTO DO SUBCONSUMO
• Entre 1923 e 1929, os salários subiram 8% e os preços de produtos industrializados 72%

“A QUINTA-FEIRA NEGRA” 24/10/1929

• 16 milhões de títulos foram colocados à venda sem que aparecessem compradores
Os preços dos títulos desabaram
• (Exemplos: as ações da US Steel caíram de 250 para 22 pontos, as da Chrysler de 135 para 5)

A GRANDE DEPRESSÃO

• NASCEU NOS EUA E TORNOU-SE MUNDIAL
• FALÊNCIAS, DESEMPREGO, MISÉRIA, BANDITISMO …

O COLAPSO NOS EUA

• 4 MIL BANCOS FALIRAM
• 85 MIL EMPRESAS PRODUTIVAS FALIRAM
• PRODUÇÃO CAI 50%
• SALÁRIOS CAEM 20%
• 14 MILHÕES DE DESEMPREGADOS
• PREÇOS DE PRODUTOS AGRÍCOLAS DESPENCAM: AGRICULTORES PERDEM SUAS TERRAS (HIPOTECADAS AOS BANCOS)

O COLAPSO NA EUROPA

• EUA repatriam seu capital emprestado anteriormente (só em 1928/29, 7,5 bilhões de dólares tinham sido emprestados a vários países)
• Importações caem em média 32% em vários países
• Exportações para os EUA caem de 4,5 bilhões de dólares (1929) para 1,3 bilhão (1933)
• Falência do Banco Kredtanstalt (Áustria), Banco Rotschild (França), bancos Danatbank e Dresdner (Alemanha)
• Produção alemã cai 39%
• Comércio internacional cai 25%
• Exportação inglesa cai 70%
• Desemprego mundial chega a 30 milhões

O COLAPSO EM OUTRAS REGIÕES

• Crise nas exportações mundiais de matérias-primas e de alimentos para os centros industrializados
• No Brasil, os estoques de café subiram de 7,3 milhões de sacas (1927) para 27,5 milhões (1930). O preço do café caiu mais de 30%. O crédito externo foi suspenso e os empréstimos anteriores deveriam ser liquidados. Nas vésperas da quebra de 1929, o café representava 72,5% das exportações brasileiras

O NEW DEAL (“NOVO AJUSTE”)

• Presidente Roosevelt, baseado em Keynes:
• “A ÚNICA COISA A TEMER É O PRÓPRIO MEDO” (Discurso de posse de Roosevelt)

• Amplo apoio aos desempregados
• Grandes obras públicas
• Reforma no setor agrícola
• Protecionismo alfandegário
• Intervenção do Estado na economia

TEORIA KEYNESIANA (NEOCAPITALISMO)

• INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIA
• PLANEJAMENTO ESTATAL
• EMPRESAS ESTATAIS
• ESTADO DE BEM-ESTAR SOCIAL
• NACIONALISMO ECONÔMICO
• HIPERTROFIA DO PODER EXECUTIVO

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir